0
2 In Estilo de Vida

Minha experiência hospedando com o Airbnb

HOSPEDANDO COM O AIRBNB - LIS LIFE

Tempos de crise e precisando levantar uma graninha? Tem um quarto vago aí na sua casa? Deixa eu te contar minha experiência hospedando com o Airbnb que pode ser útil!

O Airbnb é famoso por ser uma opção de hospedagem acessível e muito usada ao redor do mundo. Aqui no Brasil ainda é muito hype ainda mais aqui na minha região. Não vejo muitos hosts do Airbnb falando das suas experiências fora do fórum da comunidade na plataforma.

Eu achava que aqui no ABC, o interior da grande São Paulo*, a procura fosse mínima. Anunciei um quarto da minha casa e em três dias estava alugado!

*só morador pode zoar com o ABC, fechado?

O Airbnb é uma plataforma, não um intermediário ou administrador. Nele tem recursos e suporte tanto para quem hospeda quanto para quem é hospedado.

  • Primeiras percepções da plataforma

Na criação do anúncio o próprio site mostra uma média de preços dos espaços com as mesmas características que o meu. Cada host define o seu preço, o valor de depósito de emergência em caso de danos e a taxa de limpeza. O hóspede paga para o aplicativo e eu recebo na minha conta bancária já pagando a taxa de serviço do site.

Tudo bem explicado e transparente, com a maior segurança para os dois lados.

A taxa de serviço é bem pequena na minha opinião, considerando todo o suporte e a qualidade da plataforma.

Uma boa surpresa foi o serviço de fotografia profissional, disponível em algumas regiões. Veio uma moça fazer fotos da casa e depois de um tempo estavam no meu anúncio já verificado. Essa fotos garantem anúncios reais e mais completos, o que faz a comunidade Airbnb ainda mais sólida.

O Airbnb preza muito pelo espírito de comunidade e mantém fóruns de ajuda e até uma central de suporte global em português.

Aqui na minha região a maior procura de hospedagem são estadias de longo prazo, a partir de 30 dias. Foi nessa modalidade que eu tive minha experiência hospedando com o Airbnb.

  • Coisas que considerei ao criar meu anúncio

Eu pedi um nível de verificação mínimo para os perfis que poderiam me mandar um pedido de reserva. A pessoa deveria ter pelo menos um documento verificado e rede social autenticada. Esse nível de verificação quem define é quem hospeda. Mas, as validações são feitas na plataforma com documentos escaneados que cada usuário fornece e só o Airbnb tem acesso.

Um dado interessante é que a procura na minha região é, na maioria, de homens. Porém, o Airbnb dá a opção de escolher e restringir o sexo dos seus hóspedes.

  • O que foi mais desafiador em alugar uma parte da minha casa

Exatamente o que todo mundo deve considerar antes de anunciar seu espaço no Airbnb e, eu, não pensei como seria.

O quanto você é aberto e flexível para coisas que mudem sua rotina ou costumes mesmo em níveis básicos de leve?

Ter uma pessoa estranha em casa vai mudar coisas como horários, sons, sua liberdade e até o cheiro da sua casa.

Imagina você acordando em modo automático. Desce pra tomar café da manhã de lingerie, liga o fogo do leite e lembra que tem um hóspede em casa! Volta, sobe correndo, rezando pra ele não estar saindo no corredor, tropeça no gato, quase cai e puts… True fact!

Essa situação é a mais básica que pode acontecer… Entre tantas outras desagradáveis ou menos engraçadas que também acontecem.

Hospedando com o Airbnb você precisa saber lidar com todas as situações da forma mais calma e flexível possível.

O Airbnb deixa claro que é o host quem determina as regras da casa e você descreve todas no anúncio.

Mas, só depois do primeiro hóspede de longo prazo, eu fui entender como deveria funcionar para ser bom para mim. As regras devem ser boas para a casa, para você e para interferir o menos possível na sua vida e rotina.

  • Dicas da minha experiência

Você não está recebendo um familiar, amigo ou sendo pago como um hotel. Por isso, reserve espaços da sua casa para a convivência familiar, mesmo que você more sozinha. Isso previne várias situações constrangedoras e que geram climão na convivência.

Liberar o uso total da casa ou não estabelecer regras claras de uso vai te gerar situações desconfortáveis ou até danos. Já pensou um hóspede sem querer quebrar um vaso de valor sentimental? Como você cobra isso na taxa de segurança?

No meu caso um hóspede colocou um copo (que ele não deveria ter usado) na lava louça (que ele não sabia usar) e desbotou toda a coloração do copo. Estragou meu jogo de Whisky que era um xodó.

Foi só um copo, mas é chato, né?

Se você não for flexível em coisas como essa, hospedar com o Airbnb não é para você!

Pessoas tem hábitos diferentes. É mais fácil e menos constrangedor falar sobre barulho e horários do que sobre hábitos de higiene, conceitos de limpeza e organização.

Deixe regras de limpeza dos espaços (inclusive chão) e de eletrodomésticos bem claras. Mas, nada disso garante que a pessoa vai ter o mesmo “padrão” que você, ou vice-versa.

Por via das dúvidas, coloque uma taxa de limpeza que cubra o custo de uma eventual faxina extra, vai que precisa?

Eu tinha três regras básicas na minha casa:

  • Não entro nas dependências de hóspedes.
  • Sujou, limpou.
  • Quebrou, pagou.

Tenho quatro banheiros em casa, um exclusivo para o quarto de hóspedes e por regra eu não entrava nem no quarto, quem dirá no banheiro? Mesmo assim a moça que limpa aqui em casa falava comigo de coisas que estavam fora do meu território, entendem? Por serem coisas muito pessoais eu optava por fazer a Egípcia e fingir que não vi!

No máximo, eu lavava uma louça pro hóspede, deixava comida e até dividi uma pizza e um japa… Uma das partes boas boas de ter mais gente em casa.

Ma, coisas constrangedoras acontecem… Em família já é difícil imagina com estranhos? Agora entendo a utilidade de ter FreeCo em casa 😀 santa Jout Jout já havia previsto que temos menos um problema!

  • A parte boa, além do dinheiro extra…

Se o hóspede for aberto e você também boas amizades podem nascer. Você tem contato com um jeito diferente de viver, novos pontos de vista e até rola uns bons desabafos.

Eu tive interações ricas e bons hóspedes. Meus problemas foram ínfimos perto do quanto eu cresci hospedando com o Airbnb.

O suporte deles foi incrível quando precisei e a grana extra chegou em boa hora 😃

Se você tem perfil para ser host e estava querendo um incentivo: se joga! Usa as ferramentas da plataforma a seu favor, coloque regras e faça um espaço vazio na sua casa virar dinheiro.

Do limão, a gente sempre faz uma limonada, se não der pra fazer uma caipirinha <3

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Carla Mariano
    setembro 30, 2017 at 9:32 pm

    Que incrível ver esse lado, o de quem hospeda. Eu não conseguiria pois, além de ter uma rotina muito marcada, sou muito fechada pra novos contatos “íntimos”. Pra alguém entrar na minha casa só sendo muuuuito conhecido kkk

    Beijos beijos,
    Carla M.

    • Reply
      Lis
      outubro 2, 2017 at 3:56 pm

      Olha Carla eu achei que não conseguiria, mas o dinheiro veio em boa hora hahahaha

    Let's talk!