0
2 In Empoderamento

Papai Noel dos Correios: Como mudar o Natal de alguém em 3 horas?

A primeira vez que eu ajudei o Papai Noel dos Correios foi há 7 anos e espero seguir ajudando por muitos anos mais.

Antes de começar a ler assiste o vídeo aqui em cima. Você vai ver como em 3 horas dá pra mudar o Natal e, quem sabe, a vida de alguém.

Depois continua lendo pra saber o porque você deveria fazer isso.

7 anos atrás minha situação financeira não era aquela coisa maravilhosa, mas estava anos luz do que quando eu era criança.

Fui nos Correios e peguei a primeira cartinha da minha vida. Comprei o brinquedo, roupas, material escolar e um chocotone.

Enquanto eu comprava fiquei pensando porquê quando eu era criança eu não sabia que isso existia? Voltaram algumas lembranças da minha vida.

Ser criança pobre da periferia não foi uma tarefa fácil. Pai e mãe analfabetos, a luta diária pelo básico. Não existia esperança de ser ou viver algo melhor. Mesmo que esse “melhor” fosse ter uma bola, uma boneca ou uma roupa. Manter a inocência? Só por um milagre.

Não lembro disso com dor, eu só me lembro, sabe?

Lembro de brincar com folhas de árvore, da fila pela comida na Igreja Santo Antônio, da sacola de roupa doada dos Vicentinos.

Até meus 15 anos a gente dependia muito de doação, especialmente mantimentos pra comer. Como eu comecei a trabalhar com 11 anos, eu ganhava roupa das patroas, dos filhos delas.

Minha família precisava dessa ajuda “do Papai Noel” mas a gente não sabia que poderia escrever pra ele. Mesmo assim a ajuda nunca deixou de chegar.

Eu acredito que toda ajuda que recebemos me permitiu chegar até aqui hoje, mesmo sem oportunidades, sonhos ou expectativas. Eu tô aqui graças a cada pessoa que me ajudou.

Por isso poder fazer esse carinho em crianças que precisam é tão importante pra mim!

Depois do primeiro ano eu não parei mais e fui contagiando a família. Minhas irmãs, nos últimos anos, pegam várias cartas e saem distribuindo e arrecadando ajuda.

Ano passado os Correios atenderam mais de 350 mil cartas.

Dessas 350 mil, umas 50 crianças foram ajudadas aqui em casa! Minhas irmãs, seus colegas de trabalho e eu fizemos nossa força tarefa de Natal.

A Nani (minha irmã) conseguiu 3 bicicletas, vários patins e muito brinquedo para atender os pedidos. Ela fez a organização de 50 cartas sozinha! Viu quem poderia contribuir e montou as sacolonas. Sacolas tão generosas que não dá pra chamar de sacolinha.

Esse ano a Kelly, minha outra irmã, se encarregou de 30 cartinhas com muitas crianças.

– Entre colegas de trabalho e família as 30 cartinhas desse ano já foram atendidas!

Como a maioria das cartinhas tem mais de uma criança, esse temos de novo a média de 50 crianças que vão receber presentes do Papai Noel dos Correios!

O número pode ser maior porque tem cartas com 5 crianças, por exemplo. Mas, não importa o número de crianças, minha mãe sempre diz que “o pouco com Deus é muito”, então vamos fazer o nosso pouco!

O que importa mesmo é restaurar um pouco da esperança e inocência nessas crianças.

E, claro, retribuir ao universo um pouco da ajuda que recebemos!

Mas, o trabalho não é só no Natal. Aqui em casa temos nossos dois pequenos.

O Gu de 6 anos não acredita no Papai Noel. Mas, ficou na dúvida quando falei que só se eu me comportar e trabalhar direito eu ganho dinheiro pra comprar presente. E que isso é o mesmo que um presente do Papai Noel.

Já a Isa de 5 anos acredita, mas tá começando a ficar na dúvida pelas conversas com os amigos da escola. Esse ano ela me perguntou se eu não tinha “Natal” quando era criança e me fez escrever uma carta pro Papai Noel porque ainda dava tempo!

Pra eles entenderem porquê a gente recebe as cartinhas de outras crianças, a gente explica que somos ajudantes do Papai Noel.

Lemos todas as cartas em casa e explicamos o tempo todo o quanto hoje nós somos abençoados por ter tudo o que temos. Mas, que não podemos esquecer de quem não tem esse privilégio e que precisamos dividir o que temos com quem precisa.

É um trabalho diário criar crianças generosas, que saibam reconhecer os privilégios que tem e sejam solidárias com quem precisa.

Ser ajudante do Bom Velhinho é só um passo na nossa jornada e que posso dizer que nos dá a melhor sensação do mundo!

Não só pela nossa história de vida, mas porque é uma sensação única de felicidade genuína! Poder ajudar alguém sem esperar nada em troca nos preenche de um amor tão incrível que nos transforma!

Papai Noel dos Correios: Como mudar o Natal de alguém em 3 horas?

Pra comprar tudo isso aí da foto (acima) eu gastei só R$ 400,00. Cada criança vai receber em 2 trocas de roupas com meias e 2 brinquedos. Eu quis comprar mais do que elas pediram, mas com certeza dá pra ajudar gastando menos.

Você pode ajudar com o que tiver ou juntar uma galera pra dividir os custos de uma cartinha. Os pedidos são bem simples tenho certeza que você vai achar uma cartinha pra ajudar.

vídeo lá em cima é da Karol Pinheiro, mostra que não precisa mais do que 3 horas para fazer a diferença da vida de uma criança!

Se você fica na dúvida se deve ou não ajudar por conta dos problemas dos Correios. (sumiço de produtos, desvios de correspondência e etc.) eu acredito que o processo do Natal é diferente.

Tem como consultar se os presentes foram entregues e o que não for entregue é enviado para ONGS conhecidas e respeitadas.

No site Papai Noel dos Correios tem muita informação, dá até para entender como funciona a seleção das cartinhas.

A retirada das cartas e entrega dos presentes pode ser feita até o dia 16/12 nas agências listadas no site.

Vamos seguir firmes e fortes na missão de ajudantes do Papai Noel todos os dias do ano? Eu vou!

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    amanda lopes
    dezembro 14, 2016 at 2:05 pm

    que história linda! eu vou correr no correio pra ver se da tempo de pegar uma cartinha 🙂

  • Reply
    Ainda dá tempo de fazer em 2017! | Lis.Life | Lifestyle | Girl Power |
    novembro 22, 2017 at 6:49 pm

    […] Adotar mais cartinhas do Papai Noel dos Correios. […]

  • Let's talk!