0
Browsing Tag

Reeducação Alimentar

1 In Beleza e Bem-Estar

Vida Saudável | Diário 4: Marmitas saudáveis, quem diria?

marmitas-saudáveis-vida-saudável-lis-life

Nunca pensei, mas levar marmitas saudáveis para onde eu vou tem sido muito gostoso. Acho que vou adotar esse hábito pra sempre.

Por conta das marmitas saudáveis a segunda semana na dieta restrita foi mais tranquila. Indo pro escritório todos os dias é mais fácil seguir a dieta de 600 calorias.

Passo o dia na minha mesa tomando água e minhas opções de comida são as que estão na lancheira. Na verdade, bolsa térmica, mas eu prefiro falar lancheira, porque é fofo.

Também tenho ignorado solenemente os bolos que sempre estão lá na copa do escritório na hora do café da manhã.

Já em casa a coisa muda e fica bem mais difícil.

Cada cheiro e cada pacote fechado é uma vontade. Especialmente no final de semana, com as opções de gordice me perseguindo.

Por isso que eu contratei uma “personal chef” para fazer marmitas saudáveis de almoço e jantar. Foi indicação da nutricionista e eu quis testar pra ver se iria mesmo ajudar o dia a dia.

O preço desse tipo de serviço assusta a primeira vista.

Mas, considerei que as marmitas seriam feitas só para mim. Seguindo o cardápio e todas as especificações da nutricionista. Respeitando o modo de preparo cheio de limitações e com ingredientes de qualidade.

É mais um luxo que praticidade.

Eu preciso associar essa dieta com prazer, senão a relação com a conida fica complexa demais. Vai perdendo o gosto e pode ter consequências emocionais.

Ter uma comida saudável que respeita as 600 calorias da dieta e que ainda seja gostosa é um “carinho” que me dei.

É aquela coisa eu tô e não tô doente, não posso sarar o corpo criando outro problema pro futuro.

Eu não saberia fazer nem metade das opções que a Chef Thais propôs. A diversidade de pratos que ela fez com poucos ingredientes é incrível e eu tenho gostado muito.

Vou fazer um post só com o cardápio e a avaliação dos pratos em breve.

Tenho levado as marmitas comigo sempre, até quando vou na minha mãe pra não perder o foco.

Essa semana foi tranquilo manter a dieta, mesmo com a vontade de doces.

A constatação da vez é como as pessoas fiscalizam a comida de quem está acima ou abaixo do peso né? Não é nem pra ajudar, vejam só.

Todo mundo enche meu saco com o tamanho da marmita. Em casa, no trabalho, na vida. Não aguento mais ouvir, no café, no lanche, no almoço: “você vai comer só isso?” com aqueles olhos arregalados. Pior que a pessoa continua: “Meu Deus você vai morrer, troca de médico!”

Quando eu comia de tudo eu era chamada de draga, a falsa magra, a que dava PT no kilão, tinha solitária na barriga, veio da Etiópia…

Marmitas Saudaveis - você vai comer só isso?

Pra fechar, ninguém pergunta como estou me sentindo ou se meus exames melhoraram. Quem vê pensa saúde é só o corpo por fora e não por dentro, né? Lembrei de um texto que li no Portal Raízes e fala da saúde emocional e do quanto ela afeta a saúde física (clique).

Ah, na última consulta eu perdi 2.100Kg, somando 3.100Kg em 2 semanas.

Semana que vem eu volto com mais um diário e mais alguma reclamação das pessoas sem noção 😀

1 In Beleza e Bem-Estar

Vida Saudável | Diário 3 – Primeira semana com 600 calorias por dia!

vida saudável 600 calorias por dia

O título do post poderia ser: POR QUE QUE COMECEI ESSA DIETA? (em caixa alta porque eu estou gritando comigo).

Eu fiz anotações dessa primeira semana comendo só 600 calorias por dia, o diário 3 é pra contar como meu corpo e minha cabeça estão reagindo a essa mudança brusca na alimentação.

No post anterior eu comentei que estava com a cabeça confusa e assim eu permaneci a semana toda. Como se eu tivesse trocado meu sistema operacional de Linux pra Windows. Os processos comprometidos, processamento de dados lento e com erro, tudo travando.

Minha cabeça ficou lesada mas, fora isso o pior foi sentir fome. Se eu pudesse eu comeria um pouquinho a cada 1h30, mas, não pode tem que esperar 3 horas inteiras para comer um tiquinhozinho de nada de novo.

Como eu comecei a dieta no sábado (12/11/2016), tivemos feriado com direito a almoço de aniversário de casamento escolhido pela nutri e eu fiquei 4 dias em casa. 4 dias olhando minhas barras de cereal com chocolate, minhas latas de leite condensado e comendo comida sem gosto.

Sofrido!

Mesmo temperando com tudo que pode: alho, cebola, pimenta, nada fazia a comida ficar gostosa. Eu não como (comia) salada então a pior parte foi acostumar o paladar com as folhas verdes, a única coisa de quantidade livre na dieta.

Quando voltei ao trabalho e a rotina eu senti menos fome ao longo do dia, mas a marmita de frango ainda estava difícil de comer. Frango é a proteína mais fácil de fazer depois do ovo. Ovo que eu só posso comer a clara que também não tem gosto.

Quem diz que é fácil manter uma dieta de 600 calorias por dia, é doido. Talvez fique mais fácil com o tempo, mas os primeiros dias foram quase tortura. Eu tive tontura, naúseas, vomitei e achei que eu estava sobrecarregando meu corpo a toa (como das outras vezes que me tartei com endócrinos).

O que eu mais tive vontade de comer nessa semana? Tudo, doce, salgado, arroz, feijão, carne, bolo. Tudo que eu sentisse o cheiro meu estômago pulava desejando. Mas, surpreendentemente eu não senti vontade de leite e nem refrigerante, ponto pra mim.

Eu saí da dieta só no dia do meu aniversário de casamento, comi um pouco de doce na sobremesa, bem pouco. Mas, né? Não deveria.

No retorno com a Nutricionista, ela me explicou que a redução de carboidrato causa os sintomas de tontura, lerdeza, náuseas. Como não foi nada exagerado, não foi motivo para mudar a dieta.

A expectativa da Doutora era que eu eliminasse 2kgs em uma semana, mas eu perdi só 1kg. Pode ter sido culpa daquele pouquinho de sobremesa que eu comi? Pode! Mas, também pode ser meu metabolismo que está bem desacelerado, de acordo com a bioimpedância.

Até esse retorno meu emocional estava bem, motivado, mas a possibilidade do meu corpo demorar pra responder a dieta, da saúde não melhorar tão rápido quanto o prometido, me deixou bem emputecida com a vida.

Nem vou falar do fato da Nutri perguntar se eu estava grávida por conta dos meu sintomas serem todos matinais… O coisa chata ter que responder esse tipo de pergunta!

Saí do consultório triste e desestimulada, pensei nos outros médicos que passei e lembrei que ainda tenho alguns exames pra fazer. Talvez esses exames ajudem a entender o motivo de eu não perder peso e do meu metabolismo ser tão lento.

Mas, nessa primeira semana com a dieta de 600 calorias o que mais me irritou foi a pergunta: você tá de dieta? Com aquela cara de desdém ou curiosidade, como se fosse algo engraçado ou ridículo.

Quando alguém vê minhas marmitinhas já vem a pergunta e mentalmente eu respondo assim:

600 calorias por dia - Meme da dieta

Dá pra ver que meu humor tolerância zero não me abandonou, né? Ainda bem, agora eu tô melhor já vivendo a segunda semana com mais força e resiliência!

2 In Beleza e Bem-Estar

Vida Saudável | Diário 2: Exames e consultas, muitas perguntas

Vida Saudável - Rotina

Minha busca pela vida saudável começou com uma decisão e passou por uma maratona de exames e consultas.

Eu comecei com com atitudes simples para mudar de hábitos, mas ter apoio médico era fundamental.

Especialmente, de 1 anos pra cá, quando meu corpo começou a dar sinais que precisava de cuidados urgentes. Eu tinha muitas perguntas que precisavam ser respondidas.

Demorou pra eu achar os médicos certos, só essa semana fui em 3 médicos diferentes, endocrinologista, nutricionista e ginecologista. Sem contar as consultas de retorno em médicos anteriores.

Não é exagero chamar de maratona de exames e consultas, eu perdi as contas, me viraram do avesso e cavucaram cada canto do meu corpo.

Não é muito agradável, mas pela primeira vez na vida, eu estou segura da equipe médica que escolhi. Não pelos nomes ligados à ela, mas por todo o processo que me fez chegar até aqui.

Eu pedi pra fazer alguns exames, coletei meu histórico médico e fui de médico em médico mostrando e perguntando.

Só quando eu me senti realmente SEGURA eu comecei o tratamento focado em buscar uma vida saudável começando pela reeducação alimentar.

Problemas hormonais/físicos/emocionais não são fáceis, mexem com coisas que a gente nem imagina. Como por exemplo, nossa energia, nosso humor, nosso desejo de viver.

Não é raro mulheres com problemas hormonais terem crises de ansiedade, depressão, estafa e ganho de peso.

Mesmo sabendo disso quando acontece conosco é um choque. Ainda mais porque, no meu caso, teoricamente meus hormônios estão controlados por medicação.

Mas, nada no corpo humano é exato, cada corpo é um corpo e nunca sei como meu corpo pode reagir ou não a certo tratamento.

Por isso, me sentir segura foi importante nesse processo. Até porque é uma mudança minha, não quero dar espaço para ninguém questionar.

Eu não sou de ficar explicando detalhes da minha saúde/vida pra ninguém. Por isso, em 10 anos de blog eu nunca postei muitas coisas desses assuntos.

Mesmo em casa, eu evito comentar muito. Especialmente, pela idade e saúde da minha mãe, não quero preocupar ela. Com os exames e consultas, minha rotina em casa mudando eu acabo dando uma ou outra explicação.

Mas, eu sei que espaço demais leva a perguntas/conclusões desagradáveis. Que, agora, eu não tô afim de responder, porque meus médicos não responderam. então…

No final das contas, eu tenho me apoiado nos médicos e em mim, pra não desistir e controlar o medo e ansiedade. E estou indo relativamente bem, eu acho.

Achei esse texto confuso, mas acho que é culpa da restrição alimentar. Mas, quem disse que um diário precisa fazer sentido, né?

Volto logo com atualizações mais organizadas desse proceso 🙂

3 In Beleza e Bem-Estar

Vida Saudável | Diário 1: A busca pela saúde perdida

Meu primeiro texto diário sobre a busca de uma vida saudável.

Escrevo para desabafar, organizar os pensamentos e me manter motivada.

 O título desse texto poderia ser “quando o corpo pede arrego*…”

O meu corpo vem pedindo pinico*, faz um tempo, de muitas formas. Tudo porquê nos últimos anos eu passei dos meus limites físicos e emocionais.

A crise dos 30 chegou aos 28 anos de idade, em um momento cheio acontecimentos, excessos, perdas, lutas e conquistas na minha vida.

Foi onde meu corpo cansou de mim, da minha vida e mostrou que ele vinha se quebrando aos poucos, mudando e eu não percebi ou ignorei.

Eu nunca tive uma saúde exemplar, tenho síndrome do ovário policístico em um nível controlado por medicação contínua há anos. Meus hormônios são meio estranhos, não se entendem com meu corpo.

Mas, o que piorou tudo foi o meu descuido de mim, do meu corpo, da minha saúde. Aí aparece uma alteração aqui, outra ali e fui deixando, deixando, deixando até meu corpo surtar.

Surtou no nível de não saber mais dormir, comer, pensar. Isso pra uma pessoa hiperativa, como eu, é um pesadelo que vira uma bola de neve: insônia, ansiedade, stress e etc.

Não fosse só isso, os hormônios regulam uma coisa básica em nós: o nosso sentimento de bem estar.

Com tudo desrregulado eu comecei a sentir uma inquietação, tristeza, apatia e coisas que eu nunca – nem nos piores momentos da minha vida – senti.

Tive uma queda de cabelo enorme que me deixou com falhas na região frontal, crises de choro e um nervoso incontrolável.

Mas, como eu faço muito bem, eu não ligo pra essas fraquezas, sabe? Eu sigo vivendo, trabalhando, me ocupando e arranjando mais coisas pra cuidar e vou me deixando de lado.

Ninguém percebeu as vezes que eu não consegui ir até o trabalho, ou comer, ou dormir, simplesmente porque eu escondi até de mim.

Foi então que tudo travou: o corpo, a mente, as emoções. Estafa era o diagnóstico, seguido de um monte de problemas hormonais, inflamatórios e etc.

Nesse momento já era eu perdendo a auto estima, perdendo a vontade de viver. Era eu vivendo no automático e caminhando acelerada para morte.

Parece exagero, mas não é.

Não teve jeito, precisei ir atrás de ajuda especializada e correr atrás da saúde perdida

Como a vida não para, eu precisei parar e deixar a vida lá fora para olhar pra minha casinha aqui dentro. Olhar sangue, ossos, orgãos: a estrutura mesmo. Precisei não ligar pra vaidade e assumir algumas coisas bem feias sobre meu corpo, minhas emoções, minha mente.

Ah, sobre as minhas emoções? Ah que isso, elas estão descontroladas.

😀 falo isso rindo, mas já falei chorando!

Hoje, depois de uma maratona de médicos, exames, análises encontrei um caminho e vou em busca da saúde perdida.

Enquanto vou criando a minha vida saudável eu vou usando o Lis.Life pra compartilhar e me manter motivada. Eu vou ter muita coisa para aprender junto com vocês.

Pode ser que eu faça um canal novo no Youtube, quem sabe? Mas, como sempre, eu não gosto de mostrar o lado feio da vida aqui, acho que só atraíria mais energia ruim. Não quero me promover em cima de doença, então vou tentar equilibrar o assunto dentro de mim antes de colocar tudo aqui.

*pedir pinico e pedir arrego são gírias de Paulista, é o “pedir pra sair” (do Capitão Nascimento), é como dizer: “chega não quero mais brincar, não aguento.”

22 In Vida em Casa

Cardápio Semanal para baixar | 6 semanas + bônus

Minha semana sempre começa com o planejamento e com a reeducação alimentar não poderia ser diferente. Foi assim que comecei a procurar um cardápio semanal para baixar. Mas, queria algo que me desse uma base para aprender a me virar sozinha.

Mas, tenho minhas limitações, né? Não sou uma exímia cozinheira, faço o básico e tenho me interessado por cozinhar comida de verdade faz poucos anos. Nem vou falar que trabalho longe e passo pouco mais de 2 horas por dia em casa só 😀

Aos poucos, comecei a ter ideia de como organizar as refeições, testando e respeitando minhas limitações.

O primeiro cardápio que fiz foi montado olhando o que tinha na geladeira e anotando o que eu poderia saberia fazer. Nada elaborado, só aquela comidinha caseira, simples e satisfatória.

 

 

 

cardápio_semanal_completo_1
 Com o tempo eu fui descobrindo novos ingredientes e mudando um pouco a cada dia. Fui acrescentando variedades e receitas, mas sempre coisas que não fossem complexas.

cardápio_semanal_completo_2

Minha dica fundamental é faça um cardápio e crie uma rotina prazerosa! Foi isso que mudou minha vida e meus hábitos alimentares.

Dica-cardapio-semanal-familiar

Depois de praticar, queimar panelas, uma comida sem sal, outra salgada eu montei um cardápio com 6 semanas!
Só com comida caseira, ingredientes de verdade e 100% focado na minha realidade. Eu achei que deu tão certo que eu quero deixar pra vocês meu orgulhinho.

É um planejamento de refeições de 6 semanas para facilitar a vida. 6 semanas de comida de verdade. 6 semanas pra melhorar minhas habilidades e fazer a comida mais simples da melhor forma.

Vou deixar o meu cardápio semanal para baixar aqui na área exclusiva. Eu segui esse cardápio por 6 semanas super tensas de trabalho e estar no cozinha se tornou uma terapia.

Depois dessas 6 semanas eu ainda ousei e criei um bônus, coisa digna viu? Um menu especial que eu faço em casa quando quero um jantar mais caprichado, mas ainda simples de fazer.

Update: baseada na minha experiência em casa eu te ensino como montar um cardápio semanal simples (link ao lado).

O cardápio semanal para baixar + o bônus estão disponíveis aqui na área de downloads do blog. Só quem é assinante da newsletter do blog tem código de acesso FREE. Cadastre seu e-mail na newsletter clicando aqui e, depois de confirmar, você vai receber o código do mês 🙂