0
Search results for

restaurante

1 In Estilo de Vida

Restaurante Argentino no Itaim: Bárbaro

Restaurante Argentino no Itaim Bárbaro - hall

Adoro sair e conhecer lugares, sempre me baseando nos aplicativos, né? Escondido numa rua tranquila eu esbarrei nesse restaurante Argentino no Itaim.

Acho que tenho uma predileção por restaurantes argentinos, junto com os japoneses são minhas melhores opções.
 
Cheguei no Bárbaro, no final de uma noite de sábado, bem perto do horário do encerramento da casa e me arrisquei a entrar.
 
Paredes vermelhas, uma música argentina ao vivo muito bem executada em voz e violão. A casa recebia famílias e casais que interagiam com o cantor e o clima era o mais agradável possível.

Uma simplicidade acolhedora, viu? A família Che Bárbaro é famosa, então não precisa de muita explicação.

O garçom foi muito simpático e solicito, mesmo estando quase no final do expediente. Eu sei que é chato 😔
 
Fui bem direta e pedi uma indicação de prato principal que não fosse exagerado, mas que fosse um bom indicador da casa. Ele foi certeiro em indicar o corte Biscuit e Papa Quimérica, duas especialidades da casa.

Mas, além de uma história bacana esse restaurante Argentino no Itaim se destaca pelo atendimento.

A cozinha foi generosa em atender meu pedido de variação no recheio das Papas Quiméricas e ainda foi super rápido.

Restaurante Argentino no Itaim Bárbaro - prato principal

 
Carne alta e no ponto exato que pedi era suculenta e as papas quiméricas são um deleite pra quem ama batata e queijo como eu. 
A sobremesa foi outro carro chefe da casa: panqueca de doce de leite. O melhor doce de leite da vida, nada enjoativo e acompanhado de sorvete.
Restaurante Argentino no Itaim Bárbaro - sobremesa
 

Foi uma visita rápida e suficiente para querer voltar mais vezes e valeu super o registro do restaurante Argentino no Itaim que salvou a larica de um sábado a noite. ♥

Outros pontos positivos: eles atendem pelo iFood na região e deixam o cardápio disponível no site pra quem quiser conferir antes de se descolocar até a casa.
Quer ver mais resenhas de lugares legais que já conheci? Tem a tag RESTAURANTES aqui no blog 🙂
0 In Estilo de Vida

Restaurante Contemporâneo em São Paulo: Casa Ramona

Restaurante Contemporâneo em São Paulo - Ramona-2

Casa Ramona ou só Ramona é um restaurante contemporâneo em São Paulo. Escondido na parte “feia” do centro da cidade, mas que vale a pena visitar.

Dia 30 de dezembro fui ao Centro de São Paulo resolver algumas coisas perto da 7 de Abril/República. No caminho a fome apertou e eu pesquisei na internet onde comer uma comidinha diferente ou um bom hambúguer.

O Ramona estava bem ali no miolo feio dos prédios antigos e das pessoas abandonadas. A fachada parece mais um café do que restaurante, quase passei batido na frente de tão escondido.

Restaurante Contemporâneo em São Paulo - Ramona-16

Ainda bem que voltei! Apesar da cara de café o Ramona tem um cardápio apetitoso, viu?

Mas, antes de falar da comida deixa eu contextualizar:

Era o último dia útil do ano de 2016. Quase tudo estava fechado na cidade, a única loja que eu queria ver estava aberta, mas não tinah nada ao redor pra comer.

Li coisas boas sobre o Ramona numa pesquisa rápida e fui conferir. Como a casa estava vazia, só 2 mesas ocupadas, me animei, mas…

Me deparei com um atendimento bem ruim.

O Ramona é todo descolado e informal as garçonetes tem essa mesma pegada. Eu gosto do atendimento assim, em geral é mais leve.

Mas, a moça foi desatenta, relapsa e não conseguiu indicar um prato de modo decente. Mesmo eu tendo avisado que era minha primeira vez na casa, ela só me disse: “ah somos um restaurante contemporâneo você pode comer o que você quiser!”.

Mas, eu estava num good mood tão GOOD que desconsiderei. Quase sempre fico puta com atendimento mala e sem interesse.

Pedi o hambúrguer da casa e meu acompanhante pediu um bife ancho com risoto.

Se a comida fosse ruim, o Ramona não ganharia nem uma resenha aqui. Minha lei aqui no blog é não falar sobre coisas negativas e não divulgar coisa ruim.

A comida compensou a garçonete mala e as 50 coisas que pedi e não tinha na cozinha. Ok, último dia de dezembro a gente disconsidera.

A comida não só compensou como ganhou, viu?

O hambúrguer Ramona veio suculento, ao ponto e com um ovinho mole (que é difícil eu gostar) por cima. Super bem montado e bem servido.

O ponto alto do hambúrguer, foi o queijo canastra com o ovo. A maionese da casa não se destaca, mas não some, fica ali dando um saborzinho bem bom ao conjunto.

Restaurante Contemporâneo em São Paulo - Ramona-10

O bife ancho com risoto estava simples, mas numa combinação de sabores que casou. A vinagrete de pimenta biquinho ajudou a dar um tchan no risoto que tinha brie e pêra.

Restaurante Contemporâneo em São Paulo - Ramona-11

Os pratos vieram tão bem feitos que dá pra esquecer que está num “restaurantezinho” do centro de São Paulo. Parece preconceito, mas não é!

Trabalhei anos naquela região e precisamos de mais locais surpreendentes assim por lá. Fugir da rota comum dos clichês de restaurante contemporâneo em São Paulo é bem difícil porque ainda temos poucas opções.

De sobremesa um pudim de leite condensado. Não decepcionou, caseiro e nada enjoativo eu quase lambi o prato! Simples e bem feito, do jeito que eu gosto!

Restaurante Contemporâneo em São Paulo - Ramona-15

A decoração da casa é ótima e bem confortável mesmo num espaço diminuto. Achei linda a combinação de madeira com turquesa, a luz baixa e o bar todo de espelho.

O preço é a média dos concorrentes, nem mais barato, nem mais caro. Média de R$ 200 duas refeições, uma bebida, sobremesa e um café.

Pra quem curte baladas e jantares na madrugada, o Meninas no Boteco fez uma visita na noite do Ramona e contou como foi (link ao lado).

Como restaurante contemporâneo em São Paulo o Ramona entra pra lista de boas surpresas que SP esconde.

A Casa Ramona ainda está de parabéns pelo site que foi o que me convenceu a ir até eles. O cardápio completo fica disponível, com todas as informações da casa.

Deixa eu registrar mais uma coisa sobre o atendimento:

Ao pagar a conta, eu disse “obrigada, foi um prazer conhecer vocês”, sabe o que a garçonete fez? Nada! Pegou a máquinha do cartão e virou as costas comigo ainda falando.

Não acho que esse seja o padrão de atendimento da Casa Ramona, mas, olha!?! Chato viu?

3 In Estilo de Vida

Vicolo Nostro | Um restaurante italiano escondido em São Paulo

Foi um achado em São Paulo, um verdadeiro restaurante italiano para ocasiões especiais, românticas e até casamentos.

Feriado em São Paulo o Excelentíssimo* me fez a primeira surpresa em 6 anos juntos e reservou – com semanas de antecedência #milagre – um restaurante italiano pro nosso almoço especial de aniversário de casamento.

Casar no feriado tem seus benefícios, mas na hora de comemorar precisa fazer reserva com uma boa antecedência. Seria lindo já que ele conseguiu a reserva em um ótimo restaurante italiano, né?

Tudo quase perfeito, exceto pela dieta restritiva que estou fazendo, falei sobre o processo aqui. Como faz? Senta e chora? Cancela o aniversário de casamento? Não, comigo gente!

O Excelentíssimo me acompanhou em uma consulta e, como eu sabia que nós sairíamos para comemorar, eu pedi a permissão da Nutricista pra sair da dieta. Mas, Dra. Isabella não deixou (claro, né? Nutri boa é assim) mas, aceitou que o Excelentíssimo contasse pra ela onde ele ia tinha feito as reservas e passasse o cardápio para ela escolher o que eu pudesse comer.

Chegou o dia e eu nem sequer sabia se estava indo para um restaurante italiano, japonês, tailandês ou churrascaria – a Doutora manteve segredo junto com o Excelentíssimo. Muito amor envolvido <3

Escondido pertinho do Brooklin, numa ruazinha lateral que você não acredita, eu fui surpreendida por uma parede arborizada, tijolos e tons de madeira e entre o verde das folhas uma porta que quase não se vê ao virar a esquina. Passando o pórtico, um caminho de paralelepípedos e muita luz natural em meio a grandes colunas de tijolo aparente e um jardim lindo, fontes e detalhes em cada olhar.

 

Me senti num romance italiano, a música, a luz amarelada quase toda natural no salão. A ambientação, inclusive dos banheiros, é linda, feita para nos trazer a atmosfera das vilas da Itália e, verdade seja dita, eles conseguem! Tudo o que falam da decoração do Vicolo Nostro é verdade: ela encanta!

Aliás as avaliações desse restaurante italiano são ótimas em todos os sites que pesquisei, vou até colocar no meu perfil do Trip Advisor uma avaliação.

Há mesas na varanda e um salão interno, mas acredito que pelo feriado não pudemos escolher uma pena porque a varanda é, sem dúvida, o lugar mais charmoso do restaurante. Ficamos apertadinhos numa mesinha posicionada embaixo do casal Othelo e Desdemona, marionetes em tamanho real vindas de Praga para a decoração do restaurante. Apertadinhos mesmo, no espaço entre a parede a lareira, mas não ofuscou o brilho da tarde.

Aqui talvez o único ponto negativo a se observar: o salão é pequeno e achei a mesa muito apertadinha e todas as mesas ficam muito próximas, o que faz o ambiente ser bem barulhento.

 

O atendimento do Vicolo Nostro é muito cordial e ágil, quase exclusivo com um garçom por mesa ou 2 mesas, não consegui reparar. Só um ponto de me deixou curiosa, o garçom não apresenta a casa e nem o cardápio. Fiquei querendo ouvir mais sobre os pratos.

 

Ponto positivo no atendimento fica por conta da atenção, mesmo com todas as restrições que tive que passar nos meus pedidos eu fui surpreendida muito positivamente. O garçom que, por descuido não perguntei o nome, não só garantiu que meus pedidos fossem atendidos como sugeriu uma substituição do cardápio para atender melhor meu prato principal.

 

Abrimos com o couvert, de pães e molhos, muito bem servido. O Excelentíssimo, teve que comer sozinho e era só elogios, aos pães quentinhos e complementos saborosos, em especial a sardela e creme de queijo gorgonzola.

restaurante-italiano_vicolo_nostro_review-2

Em seguida, escolhemos um vinho Pinot Noir, uma das uvas que mais gosto e que harmoniza bem com carnes vermelhas magras e queijos brancos apurados (camembert e brie). A Nutri me liberou para tomar meia taça de vinho na ocasião.

Ah, a casa nos recepcionou com um frizante branco bem gostoso e suave, dei um gole, claro!

restaurante-italiano_vicolo_nostro_review-3

Vinho escolhido: Queulat Pinot Noir, Ventisquero Gran Reserva. Ao lado o frisante da casa, suave para abrir o apetite.

Como entrada, para mim, um mix de folhas frescas com fillet mignon e para o excelentíssimo salada com polenta e queijo. Pedi o molho a parte e tudo sem azeite ou óleo, estava saboroso e realmente fresco, o fillet no ponto certo e macio.

A foto não faz jus a salada, eu comecei a comer e só lembrei de fotografar depois.

Restaurante Italiano Vicolo Nostro - Insalata

Insalata con Filetto

Eu sempre digo que em restaurantes com grande nome os detalhes fazem a diferença, o ponto da carne, a textura das folhas e em tudo isso o Vicolo Nostro foi impecável.

Como prato principal, a nutri escolheu um fillet de Saint Peter com purê de aspargos e, por sugestão da casa, substituí por espaguete de legumes, com pupunha, abobrinha e cenoura. Mesmo sem provar o purê de aspargos, que tinha creme de leite, o espaguete de legumes veio na medida, apimentadinho e casou com o fillet.

Restaurante Italiano Vicolo Nostro - Peixe

Filetti de San Pietro modificado para minha dieta!

O peixe estava suculento, pouco óleo no preparo e mesmo assim molhadinho por dentro. Um prato simples, mas que merece elogios.

Excelentíssimo escolheu risoto de funghi com fillet mignon recheado de queijo brie e, palavras dele: a pessoa que inventou esse prato merece um prêmio. São sabores que casam muito bem e eu que amo risoto fiquei babando.

Restaurante Italiano Vicolo Nostro - Filetto

Filleto Ripieno con Brie

Pra fechar o encanto, recebemos do restaurante um bolo de algodão doce. Uma fofurice sabe? A criança dentro de mim saltou nos meus olhos, com uma mensagem delicada de felicidades e os parabéns do garçom e do maitre. Mas, quem saboreou com gosto foi o Excelentíssimo.

Restaurante Italiano Vicolo Nostro - bolo de algodão doce

A sobremesa foi seleção de frutas gratinadas com zabaione e fechamos a tarde com um espresso e os pettit fours, deliciosos e caprichados, tudo tão bonito que eu precisei provar #ops

Restaurante Italiano Vicolo Nostro - Sobremesa

Frutta gratinata allo Zabaione

Tivemos uma tarde encantada, mesmo com as restrições eu amei o restaurante. Vou voltar para conhecer as massas da casa, assim que puder!

Se você vai comemorar algo especial, ou está buscando um restaurante para uma cerimônia de casamento initimista, vale conhecer o Vicolo Nostro.

Ah, tem vallet por R$ 25 reais na porta e recreação para crianças no salão.

*Excelentíssimo é como eu chamo meu sócio de vida no momento, meu Excelentíssimo.

1 In Estilo de Vida

Serra da Graciosa, Morretes e Antonina.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Desci a Serra da Graciosa de carro com destino a Morretes e Antonina.

A Serra da Graciosa ou PR-410, uma rodovia que atravessa o trecho mais preservado de Mata Atlântica do Brasil. Foi declarada pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e tem 28km de extensão em mata fechada.

Esse trajeto até Morretes pode ser feito por um trem turístico saindo de Curitiba. Mas, quem puder viver a experiência e a emoção de descer a Serra da Graciosa não vai se arrepender.

A estrada existe desde 1721 e era chamada de Trilha da Graciosa.

A Serra da Graciosa é bem cuidada e limpa. Embora eu ache que tem trechos de paralelepípedo que deveriam ser asfaltados.

 

No trajeto da Serra da Graciosa tem recantos com mirantes, quedas d’água e pontos de comércio. Todos os recantos são públicos, com mesas, churrasqueiras e espaço para camping.

No final dos 1050 metros de altitude da Serra está São João da Graciosa e as nascentes do  rio Nhundiaquara.

Rio, aliás, que é um dos mais limpos do Brasil em toda sua extensão e percorre as cidades ao redor.

No final da estrada, na bifurcação você escolhe se vai para Morretes ou Antonina.

Serra da Graciosa: Viagem de carro pelo Sul do Brasil

Segui primeiro para Morretes, onde almocei e passei parte da tarde.

Morretes é uma cidade pequena e encantadora, que parece ter parado no tempo.

Tudo em Morretes é simples, mas não se engane! A cidade é turística e tem opções de hospedagem e alimentação que dá pra se perder na escolha.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

As @’s do Instagram me mandaram para Morretes indicando o famoso prato da cidade: o barreado. Entre um passeio pelos bairros, parei na praça da Ponte Velha e almocei com vista para o Rio Nhundiquara!

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Como não é alta temporada poucos restaurantes estavam abertos. Entrei para conhecer o Madalozo, que é bem tradicional na cidade.

– o nome Madalozo, lembra o Madalasso, o restaurante que almocei em Curitiba, mas não são “parentes”.

No Madalozo escolhi a opção rodízio com barreado na mesa, pra ter toda a apresentação tradicional do prato.

A vista encantadora é de uma paz incrível, o atendimento foi super simpático e me trouxe uma pinga de banana divina!

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Pela segunda vez comprovei que a história do rodízio de comida é levada muito a sério no Sul do Brasil.

Segui pelas ruas de tijolo com ar de novela das 6 da tarde. Tirei tantas fotos dos casarões antigos que nem consigo escolher o que postar aqui.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Ainda estava acontecendo uma feira de artesanato e flores no centro. Comprei um doce e andei pela feira até a Igreja, passando pelo marco zero da cidade e pelo hotel mais antigo da cidade.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Morretes vale a vista pra quem gosta desse ar de passado, de ver a arquitetura local e de andar sem rumo. O museu da cidade é pequeno, mas tem peças interessantes e objetos bem conservados.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

 

A parada em Antonina foi exclusiva para fotos e bem rápida.

Menos de 20 mil habitantes: já diz muito sobre Antonina, né? A cidade tem uma Baía que de tão calma dá pra meditar só olhando a paisagem.

Foi esse meu destino inicial.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Seguindo pela orla já dá pra ver as ruínas do Casarão Macedo. Que além de alimentar minha imaginação com histórias de terror, rendeu fotos lindas pro meu arquivo pessoal!

Leiam esse texto completíssimo para saber a história do Casarão. 

Serra da Graciosa: ruínas de Antonina

Andei pelas ruas do setor histórico e, diferente de Morretes e Curitiba, achei os prédios mal conservados e as ruas sujas.

O que é triste, afinal Antonina tem tudo para ser um refúgio igual a Morretes.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

A cidadezinha litorânea vale a visita de pelo menos meio período, para conhecer as igrejas e a prefeitura.

Serra da Graciosa: visitando Morretes e Antonina.

Um plus, nessa viagem foi a subida da Serra da Graciosa com chuva.

Já falei que carro deslizou a menos de 20 km/h, né? Foi um cagaço absurdo pra subir, mas com emoção é bem melhor!

Pra ver mais lugares que visitei, onde comi, dormi e etc. passa no meu perfil do TripAdvisor eu vou avaliando tudo por lá 🙂

Um vídeo que não vai ficar listado no Youtube:

 

1 In Estilo de Vida

Roteiro de 2 dias em Curitiba, pra querer voltar logo!

Uma visita relâmpago, mas o roteiro de 2 dias em Curitiba foi eficiente para conhecer os pontos altos da cidade!

A ideia dessas férias de última hora era sair de Santo André sentido Sul. Conhecer Laguna e ir parando pra curtir o trajeto.

Sem muitos planos, toda a viagem foi guiada pelas sugestões dos pouco mais de 16k de amigos do blog no Instagram.

Em cada cidade eu parava, abria aplicativos de viagem e pegava as dicas que recebi nas DM’s e comentários. Achava quarto pra dormir, onde comer e passear tudo assim na hora.

  • Vou escrever um texto especial sobre a experiência de fazer uma viagem sem, ou quase, planejamento, com todos os apps e dicas para não cair em roubadas na estrada.

Minha primeira parada foi Curitiba que fica a 5 horas de São Paulo pela Régis Bittercourt. A estrada é boa e fui por ela do Paraná até Santa Catarina como vocês vão ver nos textos dessa viagem de carro.

Curitiba merece pelo menos 3 dias inteiros só para ela, mas dessa vez eu não tinha esse tempo. Mesmo assim não quis deixar de conhecer o básico da cidade.

Cheguei pelo bairro Jardim Botânico e achei um hotel a 5 minutos do Centro. Exatamente entre os bairros Água Verde e Batel que são bem conhecidos.

A boa localização ajudou a otimizar o tempo e ter mais opções de locais para visitar.

A lista de lugares para conhecer em Curitiba é longa, mas o básico que me indicaram foi:

Parque Barigui, Museu Oscar Niemeyer, Jardim Botânico, Praça do Japão, Bosque Alemão, Parque Tanguá, Ópera de Arame, Torre Panorâmica, Museu do Holocausto, Castelo Hauer, Bairro Santa Felicidade, Vinícola Duringan, Centro Histórico.

Para comer em Curitiba as indicações foram: Restaurante Mandalosso, Bar do Alemão, Officina Bistro e Forneria Copacabana.

Organizei meu roteiro de 2 dias em Curitiba por ordem de interesse.

Curitiba tem um city tour de ônibus que passa pelos principais pontos turísticos da cidade que seria perfeito pra mim, mas, infelizmente não estava funcionando na data.

Eu amo ver a arquitetura urbana, parar em frente aos prédios e tentar entender a história da cidade através deles. Passei pela Primeira Igreja Batista de Curitiba e pelo Castelo do Batel dois prédios que mereceram uns minutos de atenção mesmo estando fechados.

Clique nas fotos para ler sobre os prédios, tá?

Foto: Fotografando Curitiba

O Castelo do Batel é lindo mesmo de longe, olhando dos portões.  Passei ainda pelo Castelo a noite e é quase um sonho com a iluminação.

Foto: Castelo Batel Eventos

Parei na Praça do Japão e os monumentos pela Paz realmente me deixaram com a sensação de paz. As fontes, as carpas, o silêncio e o gramado bem aparado com pequenos bonsais é encantador. Tudo limpo e bem conservado.

 Roteiro-de-2-dias-em-Curitiba_2017

Na praça este prédio é uma loja de artesanato local, com memórias dos imigrantes e algumas informações sobre a construção da praça.

Roteiro de 2 dias em Curitiba

Andando pelos bairros cheguei na Torre Panorâmica, que estava fechada. Não era um bom dia de fazer turismo em Curitiba 🙁 mas, passei pelo Bosque Alemão, Bosque Italiano e subi até o Bairro Santa Felicidade.

Quis almoçar no Restaurante Madalosso, o segundo maior restaurante do mundo! Famoso por servir mais de 4 mil mesas simultaneamente, em dias de festa. Um restaurante familiar que desde 1963 serve um rodízio de pratos simples, mas delicioso e bem servido.

Roteiro de 2 dias em Curitiba

Apesar de não ser nada típico italiano, como imaginei, eu gostei da comida. Tinha um frango a passarinho que estava maravilhoso. Os salões amplos lembram as churrascarias rodízio de São Paulo, o atendimento foi rápido e bem gentil.

Comecei a me sentir de férias de verdade nesse almoço 🙂

Roteiro de 2 dias em Curitiba

Andando por Curitiba vi muitas praças que a Paulista aqui ficava impressionada com o quanto eram limpas e bem cuidadas. Até as menores e mais afastadas!

Uma passadinha na Vinícola Durigan para degustar alguns todos os vinhos deles e trouxe algumas garrafas pra casa, além de ter feito muitos stories de terror com as estátuas do local.

Roteiro de 2 dias em Curitiba

 

Oficialmente o Natal chega a cada ano mais cedo, mas estando de férias eu nem me irritei com isso. Claro que a gente ignora o coelho da Páscoa ali, faz parte da decoração. 🙂

Roteiro de 2 dias em Curitiba

 

Os parques de Curitiba vão ser um ponto polêmico da minha resenha!

Achei todos melhores que o Ibirapuera! Sorry São Paulo, eu te amo, mas… Não só pela amizade que fiz com as Capivaras, mas tudo é muito mais bonito e bem cuidado.

A foto abaixo poderia ser do ~laguinho~ do Ibira, mas é do Parque Barigui mesmo!

Roteiro de 2 dias em Curitiba

O que mais me chamou a atenção na cidade é como tudo parece funcionar!

Falando a real: não fico sossegada tirando foto com o tripé em parque nenhum de Santo André e muito menos em São Paulo. No Barigui eu fiz foi logo um book #LOL

Agora solta a trilha sonora romântica….

Logo ao chegar na cidade meu olho encheu de lágrima e o coração saltou nos olhos. O Jardim Botânico todo cor de rosa foi lindo de ver.

Me emocionei por estar em mais uma cidade conhecendo mais um cartão postal.

Roteiro de 2 dias em Curitiba

 

Nenhuma foto faz jus ao amor que senti nesse curto roteiro de 2 dias em Curitiba!

Ah, como eu não tinha certeza se iria esticar para Santa Catarina eu fui conhecer o Bar do Alemão no Centro Histórico. O Bar fica no Largo da Ordem, onde também tem a famosa feira de artesanato e a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, a mais antiga de Curitiba.

O chão de tijolos é bem característico e a noite a movimentação é intensa nos bares.

Roteiro de 2 dias em Curitiba_2017_iPhone-4

Foi só a primeira pratada de comida Alemã da viagem! O Bar é muito bacana, mas o chopp é Itaipava. Não que seja ruim, mas poxa… Um bar alemão né?

O ambiente lembra uma taberna e conserva desde 1979 os móveis rústicos, lanternas e decoração que dão o charme.

Não provei o Submarino, bebida carro chefe da casa, mas provei a carne de Onça que não é de Onça e o Apfelstrudel!

Uma tristeza: não fiz o tour do Museu Oscar Niemayer, mas se o prédio do museu já é apaixonante imagina o tour guiado?

O que eu achei de Curitiba

Dória aprenda, por favor, com eles o que é cidade limpa de verdade! Mais do que paredes sem pichação, vi em Curitiba boeiros limpos, cestos de lixo disponíveis a cada 100 metros, todos limpos e com opção de separar o lixo orgânico.

Monumentos e locais públicos são iluminados e conservados, calçadas e guias todas bem cuidadas. Vi muitas rampas de acesso para cadeirantes e guias condutoras para deficientes visuais. Quase não vi policiamento, mas ainda assim me senti muito segura na cidade.

Fui ao cinema, uma sessão que acabou quase 1 da manha e voltei andando para o hotel. Duas quadras, mas que no Centro de São Paulo ou Santo André, eu jamais caminharia nesse horário.

  • mesmo morando em um dos “bairros bons” de Santo André, que daria pra ir andando em todos os melhores restaurantes e bares da cidade e ainda assim não faço isso!

Gostei do ar de interior dos bairros, mas com a cara de metrópole do Centro. População educada, pelo menos parece ao ver que param mesmo para pedestres na faixa e que preservam a limpeza em toda a cidade. Fora que tem muitas opções de passeios diversas e gratuitas, é de apaixonar.

Nesse roteiro de 2 dias em Curitiba  consegui ver os principais monumentos da cidade, experimentei a vida noturna e fiquei com gostinho de quero mais.

Conheci 80% de tudo que me indicaram, um special thanks para a mariparaujo que me deu ótimas dicas da cidade!

Voltarei Curitiba, um dia, espero eu.

Se quiser saber onde me hospedei e outros lugares onde passei confere meu perfil no TripAdvisor que eu vou avaliando tudo por lá.