0
Browsing Tag

Japonês

0 In Estilo de Vida

Lámen em São Paulo é modinha: Hirá Ramen Izakaya

Lámen em São Paulo é modinha Hirá Ramen Izakaya - destaque

Lámen em São Paulo é modinha desde 2016. Temos opções variadas, dos japoneses na Liberdade aos points na Vila Madalena.

Eu nunca havia comido Lámen, 30 anos de quebrada e ainda tenho um mundo pra conhecer. Muito menos havia ido em um IZAKAYA, eu nem sabia o que era.

Naquela quinta feira eu vi uma foto de um Lámen tão bonita no Instagram que fiquei com vontade – a loka das lombrigas. Por coincidência, a noite eu estava em frente ao Hirá Ramen Izakaya e decidi me aventurar.

Primeiro pesquisei o que é Izakaya, né? É um típico bar japonês para beber e comer refeições rápidas, mas completas. Não é petiscar, é comer mesmo. Não é pub, nem barzinho, é uma mistura de Brasil com Egito dos restaurantes japoneses.

O nome “izakaya” é uma palavra composta de “i” (“sentar”) e “sakaya” (“loja de saquê”), o que mostra sua origem como estabelecimentos que vendiam bebidas alcoólicas e permitiam que os clientes se sentassem em suas dependências para bebê-las. Wikipédia <3

Espiei um pouco e olhei o cardápio disponibilizado do lado de fora da casa – ponto positivo. O ambiente é pequeno, mesas bem próximas em frente ao sofá que circula o salão.

Mas, me pareceu agradável, meia luz e mesas disponíveis, entrei.

Na mesa ao lado, um casal falava Francês, Inglês e Português. Tudo ao mesmo tempo com uma garrafa de saquê aberta. Os playboys na outra mesa falavam de drogas e baladas, as patricinhas topzêra da balada tiravam fotos dos pratos. Dois homens com pinta de executivo bebiam e conversavam no balcão.

A garçonete chegou, deixou o cardápio e se retirou.

Óbvio que fiquei perdida, entre os nomes dos ingredientes, molhos e opções eu precisei do Google, de novo. Quando a garçonete chegou ela deu uma explicação bem ruim, que me confundiu um pouco, mas consegui escolher.

– O atendimento não foi ruim, a moça era gentil, mas não se saiu bem ao explicar e o barulho da casa atrapalhou e me irritou um pouco.

Minhas opções foram básicas para conhecer o tal do Lámen em São Paulo no restaurante eleito o melhor Izakaya de 2016 pela Veja Comer & Beber.

Das bebidas eu destaco com louvor o Midori Citrus. Um suco de capim limão, gengibre na medida, limão tahiti e água com gás. Como entrada pedi o Tataki do dia, peixe com molho ponzu, shisso, gengibre e cebola roxa*.

– eu não gosto de gengibre em excesso, mas não pedi para maneirarem a mão e, ainda assim, estava na medida.

Agora o Ramen, Lámen, ou o miojo que subiu na vida como diz o Marco Gomes :).

Das inúmeras opções, o escolhido foi o Miso: macarrão no caldo ton tori paitan, temperado com miso dare, servido com chashu, ovo cozido, takenoko, chingensai, tomate picado e cebolinha*.

O que deacho é caldo ton tori paitan, miso dare, chashu, takenoko, chingensai… Google it! Sim, preferi buscar no celular do que pedir explicações e ficar ainda mais confusa.

Para completar pedi um peixe grelhado da casa, o Sanma que é cavalinha do pacífico grelhada inteira (importada do Japão)*. Que não me ganhou em nada, tem sabor de anchova e eu não gostei da apresentação inteira, espinhosa, com as vísceras e etc.

Lamen em Sao Paulo Hira Ramen Izakaya - Sanma

Fechei com um mix de sashimi do dia, os peixes frescos e bem saborosos em cortes largos, diferente do convencional.

*Informações do cardápio da casa.

De sobremesa a casa tem apenas três opções,  ganha ponto por ter uma sem glúten. Eu escolhi o doce que me pareceu mais apetitoso, o Choux Cream um pãozinho com creme de baunilha. Saboroso eu admito, bem saboroso.

Lámen em São Paulo - Hirá Ramen Izakaya - sobremesa

A luz do local não me ajudou a tirar fotos decentes, por isso recorri ao perfil do Hirá na internet para ter mais fotos no post 🙂

Uma avaliação geral?

Considerando o local, o atendimento, mas principalmente a comida: eu achei tudo SUPERVALORIZADO! Pagamos o preço do bairro badalado, da modinha, mas faltou o fator WOOOOWW na comida. É o fator wooowww que me diz que uma comida vale o preço, entende?

Fiquei desapontada com a modinha do Lámen em São Paulo, me senti enganada pelas fotos de comida. Achei o Lámen gostoso, sim, bem servido, mas o sabor não me ganhou muito não.

Os demais pratos da casa seguem a mesma linha, são saborosos, mas simples, sem aquele sabor que faz a gente voltar na casa. Entendem?

Super comeria Lámen de novo, mas que vou procurar uma casa mais tradicional na Liberdade para ver se acho meu fator wow!

3 In Vida em Casa

Como fazer sushi em casa?

Como fazer sushi em casa?

Fazer sushi em casa é algo novo pra mim, quem me segue no Snapchat/Instagram vê que eu sempre peço delivery de sushi ou me acabo nos rodízios da vida.

Amo comida japonesa, amo com toda a força das minhas lombrigas! Que são muitas, viu?

Por isso aprendi essa receita simples para fazer sushi em casa que me ajuda a manter a reeducação alimentar e matar a vontade sem enfiar o pé na jaca!

Fazer sushi em casa é teoricamente fácil, mas precisa de ingredientes de altíssima qualidade e tempo até acertar o ponto.

A minha opção de sushi caseiro é vegetariana, pra ser mais fácil ainda!

A dica principal é prestar atenção ao ponto do arroz, não exagerar no vinagre e o açucar é opcional. Tudo bem equilibrado é o segredo. Feito o arroz e no ponto certo, você pode enrolar de várias formas e “rechear” ou “cobrir” com o que quiser.

Vamos às receitas:

Nigiri de abacate com pepino:

sushi-em-casa-niguiri-vegetariano

Para o arroz

  • 1 ½ xícara de arroz para sushi
  • 1 colher (sopa) de saquê – eu pego logo a garrafa inteira pra ir tomando enquanto cozinho #soudessas
  • 2 ½ colheres (sopa) de vinagre de arroz
  • 1 ½ colher (chá) de açúcar
  • 3/4 colher (chá) de sal

Outro detalhe que dá um toque especial é colocar: Shisô verde a gosto.

Preparo do arroz

  1. Lave o arroz até que a água comece a sair transparente. Deixe escorrer até que saia todo o excesso de água.
  2. Coloque o arroz em uma panela com 1 2/3 xícara de água e saquê (e o shisô, caso queira) e leve ao fogo alto até ferver. Assim que levantar fervura, diminua o fogo para baixo, tampe a panela e deixe cozinhar por 10 minutos. Retire do fogo e deixe descansar com a tampa por mais 10 minutos.
  3. Junte o vinagre, o açúcar e o sal em um recipiente. Misture bem até ficar homogêneo.
  4. Coloque o arroz em um recipiente. Adicione aos poucos a mistura de vinagre, misturando delicadamente, para não esmagar o arroz. Depois de bem misturado, cubra com um pano e deixe esfriar.

Para o nigiri

  • 1 a 2 colheres (chá) de pasta de wasabi (essa parte eu pulo e uso cream cheese)
  • Fatias bem finas de recheio/cobertura abacate e pepino – mas, pode ser qualquer outra coisa, manga ou até salmão mesmo 🙂
  • Shoyo
  • Folhas de manjericão grandes (a gosto) ou alga para sushi, vamos usar para enrolar.

Modo de preparo

  1. Faça rolinhos de arroz com 2 dedos de espessura para o nigiri.
  2. Coloque uma gotinha de wasabi ou cream cheese em cima de cada rolinho. Vai servir de “cola” para a cobertura.
  3. Coloque em cima do rolinho de arroz: 2 fatias de abacate e 2 fatias de pepino, intercaladas. Pode usar peixe, fruta, skin e etc.
  4. Enrole os nigiris com folhas de manjericão cortadas ao meio.
  5. Sirva com o shoyo.

Essa receita faz 12 nigiris bem servidos. O pacote de arroz japonês rende muito, vários jantares pelo menos 😀

Fazer sushi em casa, não dá quase trabalho, mas pede paciência e tempo.

Eu tô pegando gosto por essa coisa de cozinha, hein? Me conta se você já tentou algo fazer sushi em casa?