0
10 In Empoderamento

Autoestima e padrões de beleza

Autoestima e Padrões de Beleza

Autoestima e padrões de beleza nos cercam o tempo todo. A autoestima está ligada a tudo que fazemos, somos e como nos comportamos com os outros e conosco.

A autoestima e padrões de beleza vivem dentro da nossa cabeça. Fazendo dela um campo de batalha, ativando emoções das mais fortes possíveis.

Você já se olhou no espelho e não se achou bonita?

  • Já entrou em pânico provando as roupas do seu armário, não gostando de nada e achando que a culpa, no fundo, é da sua falta de beleza?
  • Você não se vê bonita em nenhuma foto?
  • É comum você querer se vestir e se sentir como (parecem) aquelas garotas do Instagram, da TV, da revista?
  • Você já desejou se olhar no espelho por uma única vez e ter a sensação de “wow, eu sou muito linda” e não aquela sensação de “não sou bonita de verdade”?

Se você respondeu não à essas perguntas, muito bem, esse texto não é pra você.

Eu respondi sim pra todas as perguntas e acho que não estou sozinha nesse mundo.

De vez em quando, ainda tento culpar a roupa, a cor, o tecido, mas no final me pego pensando: “sou tão comum, normal, não sou bonita, meu corpo, essas olheiras… Affeee chega desse espelho.”

Existe uma linha bem definida na sociedade/blogs/cultura/mundo sobre aparência e padrões. Ou você se encaixa ou não.

Eu não me encaixo. Nunca me encaixei, por vários motivos.

Isso criou um sentimento-monstro aterrorizante que só aumentou com a pressão social ao longo dos anos.

Quem conhece esse sentimento sabe que a pressão se torna interna e vira uma força esmagando nossa personalidade pouco a pouco.

Essa força vai nos empurrando e aos poucos olhamos a caixa do padrão “aceitável” e queremos estar dentro dela, a qualquer custo.

A gente acorda abre o armário e escolhe aquela roupa que ficou linda no outfit inspiração do Pinterest. “Mas, não funciona em mim porque não tenho esse corpo, sabe?”

A maquiagem simples de todo dia é feita pra garantir aquele glow da pele das famosas. Ou pelo menos parecia que ia ficar naturalmente bom no tutorial. “Ah, minha pele tá péssima, preciso mesmo de muita maquiagem, vai.”

Se for pra fazer foto pra internet, maquiagem pouca é bobagem. Precisa cobrir tudo pra ter a pele perfeita e parecer uma TUMBLR GIRL. “Ah e manda mais maquiagem que tá pouco.”

Puts, mas eu preciso dessas calças que deixam todo mundo magro e lindo e alto… “Ah, mas minhas coxas grossas não entram nelas. Mas, vou lá experimentar e compro um tamanho maior com uma cinta porque minha bunda tá imensa.”

Aí na hora do almoço, pensando bem… Preciso corrigir minha dieta e tentar viver sem chocolate, açucar, lactose e glúten… Caraca como comer bem é caro, né? É não, eu que devo ser pobre mesmo, ah vou tomar chá e muita água pra aliviar a fome.

Uma olhadinha no Instagram antes de dormir, com a luz apagada, sem edredom fofo e quarto decorado. “Mas, por quê eu não posso ter uma imagem e vida perfeita? Talvez, eu não esteja destinada à admiração. Nada funciona bem comigo, nada fica igual ao feed da senhora perfeita do blog X.”

“Eu acho que alguns foram destinados a assistir e outros a desfilarem confiança e beleza pelo mundo…”

Fim.

Assim nasce uma pessoa insatisfeita consigo mesma.

Mas, não, não é o fim.

Todos os dias a gente pode lutar contra os padrões de beleza. E, principalmente, contra esses pensamentos destrutivos.

A única coisa que está sob nosso controle somos nós mesmos e nossos pensamentos. Tudo o que podemos fazer é nos esforçar para não nos comparar, não nos diminuir e não nos deixar derrubar.

Eu também enfrento esses pensamentos e, às vezes, eles vencem. Mas, já foi pior!

Eu já senti isso 24 horas por dia, eu já me permiti ser diminuída por pessoas achando que elas estavam certas sobre mim, meu peso, meu corpo, minhas roupas, minha inteligência, meu futuro…

Em algum momento da mnha vida eu parei de chorar escondido. De perder oportunidades por não me achar boa o suficiente ou adequada o sufiente. [Tweet “Eu engoli o choro junto com o suor das minhas lutas.”]

Parei de fazer dos meus pensamentos meus inimigos e de tornar as coisas mais difíceis para mim o tempo todo. Aproveitei e parei de seguir uma galera na nternet e parei com algumas revistas também.

Desde então eu tenho colocado minha personalidade em tudo e não me desculpo pelos caminhos que escolhi. Aceito o estilo que me abraça a cada dia que eu acordo diferente.

Eu assumi qu é uma escolha não me deixar derrubar. Seja por causa de uma mudança de peso, uma perda no trabalho, um relacionamento mal sucedido.

  • Eu tenho o poder de evitar pensamentos de derrota quando não entro no biquini, no vestido, na calça.
  • Eu tomo o controle da minha cabeça pra não me deixar derrubar por “conselhos de amiga”. Aquelas críticas cheias de amargura disfarçada de mel.
  • Eu tenho o poder de não ir para lugares escuros da minha mente, mesmo que as “circunstâncias” queiram me levar pra lá.
  • Eu tenho o poder de reagir positivamente a circunstâncias negativas ou simplesmenta manter a minha paz interior.

Não é tão fácil fazer quanto é falar. A gente é quase condicionada a destruir nossa autoestima atrás dos padrões exteriores.

Porém, acredite em mim, é possível mudar essa chave. Tudo o que é preciso é prática, paciência e muito amor conosco.

Uma das formas que eu encontrei para mudar minha autoestima e padrões de beleza foi criar um exercício:

Lembro rapidamente das situações onde minha autoestima e padrões de beleza me jogaram pra baixo. Onde eu me senti frustrada, dimuida, inútil.

Depois, eu penso, por alguns minutos em formas de desconstruir aquilo, reverto os pensamentos na minha cabeça e faço afirmações do tipo: “essa situação passou, eu cresci, aprendi com ela, agora eu vou seguir em frente melhor do que eu era antes”.

Parece forçado e é mesmo, é quase que reprogramar uma memória.

Eu troco frases negativas que eu disse ou ouvi sobre mim, por frases positivas. Trago pra consciência que eu sou o melhor que eu posso ser hoje, amanhã eu me torno ainda melhor.

Lembre de alguma situação aí na sua vida.

Pense em todas as vezes que alguma situação destruiu sua autoestima, te fez se sentir frustrada e gritar para si mesma na frente do espelho chorando por horas.

Em vez de reagir do jeito que você normalmente faz, tente dizer pra si que você é maior do que essas questões.

Faça isso várias vezes, todos os dias.

Nenhuma negatividade vale um segundo das nossas adoráveis 24 horas. Acredite em mim quando digo que não vale a pena eu aprendi isso da pior forma possível.

Encontre a sua aceitação em você!

Publique suas fotos no Instagram porque você simplesmente não consegue resistir a quão bem você ficou na sua roupa.

Use maquiagem para se agradar.

Encontre sua voz dentro da sua personalidade e coloque ela pra fora.

Acredite em você <3 se você está buscando mais informação pra não se sentir sozinha nesse mundo, recomendo esse texto da Geledes.Org que fala sobre padrões de beleza, autoestima e feminismo.

Eu tô fazendo isso por mim, todo dia um poquinho e escrever isso aqui me deu uma força imensa, obrigada por ler!

You Might Also Like

10 Comments

  • Reply
    Regiane Almeida
    novembro 22, 2016 at 3:35 pm

    Meu peso atual não é meu peso definitivo… Não estou feliz com meu corpo, porém não externalizo isso, pois acredito que não deve afetar a minha vida, a minha rotina nem a minha felicidade… Claro que quero (e devo) emagrecer, mas me aceito (não me conformo, mas aceito) e tento mudar na medida do possível.
    Amei seu texto

    • Reply
      Lis
      novembro 22, 2016 at 3:42 pm

      Muito obrigada Regiane, você está certissíma, não deve deixar nada afetar sua felicidade!
      Um beijo e volta sempre 🙂

  • Reply
    Angela
    novembro 22, 2016 at 7:53 pm

    Lis eu estou fora do peso e tenho dias que acho que mesmo assim estou bem e outras nem tanto. O mundo hoje em dia tem sido muito cruel com pessoas que estejam “fora do padrão” mas eu acho que que se tiver que mudar tem que se por mim e por mais ninguém. Bjs

  • Reply
    Mah
    novembro 22, 2016 at 11:04 pm

    Eu nunca fui muito encanada com meu corpo mas já vi várias amigas sendo infelizes por falta de auto estima!
    XoXo
    Mah

  • Reply
    Cristiane Cerqueira
    novembro 23, 2016 at 12:53 am

    Ai Lis, é uma difícil luta pela autoestima!

  • Reply
    Nessa
    novembro 23, 2016 at 12:31 pm

    Lis, gostei muito do seu texto!! Hoje em dia parece que ninguém está satisfeito com seu corpo e acredito que isso seja culpa da mídia, que impôs um tal de “padrão de beleza”… As pessoas tem que se conscientizar de que esse padrão não existe, cada pessoa é uma pessoa, cada corpo é um corpo. Claro que se não estamos nos sentindo bem com nosso corpo ou se estamos acima do peso, podemos fazer algo para mudar! Eu também tenho dias em que não me sinto bem com meu corpo (me acho muito magricela rsrs) e por isso mantenho uma rotina de cuidados, como alimentação e exercícios físicos.
    Resumindo… acho que se não estamos nos sentindo bem com nosso corpo, temos que buscar uma maneira saudável de mudar, mas como disse a outra moça, não podemos deixar que o sentimento de baixa auto estima afete a nossa vida.

    Beijos
    Nessa

  • Reply
    Dany
    novembro 23, 2016 at 1:37 pm

    Ótimo texto!! No geral eu sempre “me Gostei” kkkk É claro que tem dias em que eu não me acho tão bonita, mas é natural. Temos que nos amar e sempre buscar o melhor. No momento minha luta é para manter o peso, mas faço isso de boa vontade e não como obrigação, o que torna tudo bem mais prazeroso.
    beijos!!

  • Reply
    grazielacardoso
    novembro 23, 2016 at 8:39 pm

    Cada dia que passa admiro mais você Lis; doida para sentarmos e tomarmos um café ! Esse texto é perfeito , descreve muito minha cabeça hoje com a situação que venho passando, a depressão sei que vou vencê-la e ler textos assim é bom demais ! Beijão Grazi Cardoso

  • Reply
    Vany Nunes
    novembro 23, 2016 at 8:53 pm

    Fiquei muito inspirada e me senti muito bem lendo o post! Palavras verdadeiras e edificantes! Me senti acolhida e muito bem ! Obrigada por este texto! De coração!

    • Reply
      Lis
      novembro 24, 2016 at 8:15 am

      Vany <3 obrigada por ler!
      Fico muito feliz que ter aberto o meu coração fez a diferença pra vc!

    Let's talk!