0
0 In Beleza e Bem-Estar/ Vida em Casa

Autocuidado simples em casa: Self-care Sunday.

Meu relato sobre o self-care Sunday, um autocuidado simples em casa em tempos difíceis…

Não é tudo sobre vaidade… Mas, sabe desde quando eu não lavava meu cabelo com calma?

Fevereiro!

Eu sofri um pequeneníssimo acidente em Fevereiro, imobilizei o pé e acabei engatando uma cirurgia no mês de Abril.

Desde então fiquei uns dias no banho seco (que nem é banho) e dias tomando banho ~tcheco~ sentada, chorando de dor e raiva.

Uns, 20 dias atrás, eu consegui tomar banho e lavar porcamente o cabelo. Estava com, sei lá, 50% da minha mobilidade? Sentia uma dor que nem TRAMAL estava curando. Mas, tomei banho, limpei minhas feridas, refiz meus curativos e voltei pra cama.

Tudo SOZINHA, all by myself!

Deixei o banheiro parecendo uma cena de filme de terror trash dos anos 80… Toalhas, chão, pia, até as paredes… Mas, foi meu primeiro banho pós cirurgia e não deveria ter feito isso sozinha, eu sei.

Não foi bem um momento de autocuidado simples em casa, mas me senti a própria Mulher Maravilha!

Parecia que estava dando pontos em mim mesma no meio de uma guerra, tudo só para refazer os curativos pós cirúrgicos! Foi essa cena bizarra que me lembrou o quanto é gostoso qualquer autocuidado, por mais simples que seja. Melhor ainda se em outras circunstâncias, sem sangue, sem dor e sem pontos.

Já contei aqui que eu não sou das mulheres com a vida mais fácil e mole do mundo, sempre trabalhei muito, por longas horas e longe de casa. Nem sempre tive condições de bancar produtinhos de beleza ou me cuiar com o que fosse.

Meu dia de me cuidar era o Domingo em casa, desde muito nova. O Sábado, ficava para cuidar de alguma coisa da casa, fazer as unhas no máximo e, hoje, tenho aulas da pós graduação.

Nos últimos anos, eu parei de fazer algumas coisas por mim, por imposição, falta de tempo, dinheiro, por preguiça ou pelas circunstâncias… Depois do, desnecessariamente, longo divórcio que vivi eu entendi que precisava voltar a ser eu mesma.

Na verdade, desde o ano passado, eu vinha pensando o quanto eu precisava e merecia me cuidar mais. Afinal, meu corpinho é um só e já tinha sofrido muito até ali… Aí veio o acidente e toda minha vida parou.

Mais sofrimento!

Dessa vez era muito mais físico que emocional, ainda assim eu precisei olhar para dentro e suportar.

Pois bem, essa semana eu senti menos dor, me forcei uns alongamentos. Acho que estou com 80 ou 90% de mobilidade mesmo com alguns pontos para retirar. Organizei esse momento de autocuidado simples em casa para me lembrar como é bom prestar atenção em mim.

  • Comecei organizando meus produtos de beleza.

Eu sabia que tinha algumas coisas guardadas e que poderia usar. Para minha surpresa achei maravilhosos sais de banho 🙂 entre outros creminhos e óleos.

Minha ideia era usar óleo de coco e sal grosso, mas achei produtos quase vencendo, seria desperdício não usá-los.

Defini o que eu queria e poderia fazer no cabelo e corpo.

Como fiz as unhas no sabado, me preocupei mais com o cabelo. Que por conta dos antibióticos e da anestesia estão caindo mais do que sempre.

Alguns produtos da foto estavam guardados em uma caixa, sem uso!

Sabia que precisava de uma restauração e um óleo de brilho. Não sou ótima na escova, mas decidi escovar os cabelos para dar um up!

Para o corpo e rosto o básico: esfoliação e hidratação. Com mais atenção as cicatrizes da cirurgia para tentar clareá-las.

  • Planejei um tempo para estar tranquila.

A meta era só tomar café e assistir a missa com a minha mãe.

Desde que começou o isolamento social, sou eu quem coloco a missa pra ela assisir pelo Facebook da paróquia que ela frequenta.

Já fui bem mais católica, viu? Mas, essa rotina de domingo me reaproximou da missa, depois de muitos anos lutando, muitas idas à Igreja de São Judas na rua de baixo onde fica minha casa e nada me fazia voltar…

O bônus, foi a paz que me invadiu como o calor do Sol pela janela. Olhava meus gatinhos amontoados com a gente e a homília ia marejando meus olhos… Há muito tempo não sentia isso.

Me aproximo de Deus ao ver minha mãe rezando, me aproximo do céu ao ver a fé que ela preserva depois de tanta coisa que viveu… Sou uma filha medíocre, mas meu amor e gratidão pela mãe que tenho é imenso.

Acredito que esse tenha sido o maior tesouro do meu dia.

A liturgia do dia falava sobre um dos presente que recebemos de Jesus, em seu amor incontestável e incompreensível.

“Não se turbe o vosso coração crede em Deus e também em Mim… Eu rogarei ao Pai, Ele vos dará o Consolador e o Espírito da Verdade que o mundo não pode receber… Se alguém me amar, será amado por meu Pai, eu também o amarei e me manifestarei a ele…”

Certamente, isso foi um cuidado de Deus comigo… Não que eu mereça!

Tomei meu banho em silêncio. Não precisava falar mais nada para mim mesma, apenas ri com os tais sais de banho, sem ter uma banheira. Me fiz uma esfolliação maravilhosa, ok?

Para fechar, limpei as sobrancelhas, que como são espessas nem parecem muito bagunçadas, mas gosto. E o buço gente… Porquê ele cresce mesmo? Acabei por fazer ele também. Comigo de bigode? Nem o diabo pode!

Fechei meu momento ao som da minha playlist favorita para domingos de autocuidado, estava até ensaiando uns passinhos quando alguém interrompeu entrando no quarto.

Eu até poderia deixar a lista de produtinhos de beleza aqui, mas não precisa.

A magia está em olhar com atenção para o que se tem e se fixar no presente, a cura acontece nesse tempo.

Seja um banho de 1 hora ou 10 minutos contemplando alguém que se ama.

Qualquer coisa que te faça ver que SUAS forças não são suas e reconhecer que, mesmo em tempos difíceis, você também tem muito pelo que agradecer e deve fazer bom uso do seu presente.

You Might Also Like

No Comments

Let's talk!